BandCríticasGloboRecordTVRede TVSBT

Papo Rápido: o gosto do brasileiro por novelas

Novelas em alta

Não é muito difícil concluir que o telespectador brasileiro é apaixonado por uma novela. Boa parte da programação das principais emissoras da TV aberta são recheadas por folhetins dos mais variados temas. Sem esquecer que as reprises têm importância fundamental para alavancara a audiência dos canais.

Motivos não faltam

Talvez, o principal motivo é o fato de as estórias mostrarem um mundo onde o bem sempre vence no final. Trata-se de uma cultura que deu certo nesse tipo de segmento para segurar a audiência do telespectador. Quando algum autor foge da regra “mocinho vs vilão”, o ibope geralmente não corresponde.

O filão faz sucesso

Hoje, no SBT, Record TV e Globo, novelas preenchem boa parte da programação. No canal da Anhanguera são dois folhetins estrangeiros no período da tarde e dois nacionais no horário nobre. Mas esse número já foi muito superior, em tempos que todo o período vespertino do canal de Silvio Santos era formado por folhetins mexicanos. Usurpadora, Maria do Bairro e companhia desfilavam nas tardes da emissora com grandes picos de audiência, chegando até a liderar o horário de exibição.

O caixa está cheio

Um dos motivos que fazem com que novelas sejam exibidas aos montes aqui no Brasil é o faturamento que elas trazem para os canais. Segundo a revista Superinteressante (outubro de 2016), metade do faturamento das grandes emissoras vem da teledramaturgia. Mas também tem que se levar em consideração que esse gênero não é barato. Fato que se constata quando se sabe que um capítulo de novela bíblica da Record TV tem custo de aproximadamente R$ 700 mil. Na Globo, um capítulo de grande folhetim já ultrapassou esse valor.

Muitas emissoras não se aventuram por esse caminho, dado os custos altos para produção. Caso da Rede TV! e Band, esta última que até já produziu, mas hoje vive de novelas turcas em sua programação noturna.

Se o investimento, pelo menos para os grandes canais, não valesse a pena, não teríamos chegado ao incrível número de mais de 400 novelas produzidas no Brasil, desde 1963, quando foi produzido o folhetim “2-5499 Ocupado”, pela extinta TV Excelsior. É considerada a primeira telenovela diária da televisão brasileira.

Tradição no Brasil

Segundo a reportagem do jornalista Leandro Narloch, da revista Superinteressante (31/10/2016), o brasileiro ama novelas porque elas têm tradição, são polêmicas, falam para todos os públicos e dependendo desse público, podem expor temas simples ou complexos.

Alguns números

Hoje, a principal audiência da Record TV é uma novela. Mas engana-se quem acha que é a inédita “O Rico e Lázaro”. Segundo dados do Ibope kantar, a atração de maior audiência da Record TV é a reprise de “A Escrava Isaura”, que chega a marcar 11 pontos de média no período noturno.

No SBT, a principal audiência também é uma novela. O folhetim “Carinha de Anjo” também chega na casa dos 11 pontos de média.

Na Globo, como não poderia ser diferente, o folhetim “A Força do Querer” tem registrado médias no patamar dos 35 pontos, sendo também a maior audiência diária da emissora carioca.

Pra terminar

Teledramaturgia é um sucesso nas terras brasileiras. Tanto que em seus melhores momentos já chegou a ter 8 em cada 10 televisores ligados em atrações do gênero. No mundo também faz sucesso similar. Ainda que esse colunista faça parte dos 2 televisores que não costumam assistir novelas, admito que o gênero é preferência nacional.

 

Guinho César é jornalista. Fala sobre televisão há muitos anos em seus blogs pessoais. Possui um canal no YouTube. Já entrevistou grandes nomes do jornalismo e comunicação do rádio e da TV como Milton Neves, Rafael Machado, Heródoto Barbeiro, Gilberto Barros, Clébio Cavagnolle, Haisem Abaki, Roberto Nonato, José Armando Vannucci e muitos outros. Hoje, edita sua coluna “Papo Rápido” no CTV Audiência, trazendo análises sobre televisão e entrevistas aos leitores.

Comente abaixo:

Artigos relacionados